segunda-feira, 10 de junho de 2013

Coisas de Cecília: Desatando a língua

É isso aí, até que enfim, Cecília desata a língua e começa a pronunciar palavrinhas, ou pseudo palavras... mas pelo menos ela usa as mesmas sempre no mesmo contexto, vamos conhecê-las?



-Mamá - Madá(cachorrinha, foi também a primeira a palavra da Elena)
-Mamá - Peito
-Bó - Bola
-Mana - Mana
-Nena - Elena
-Nienie - Nenem
Papa - Papai
Mamama - Mamãe
Áua - Água

E tem uma coisa muito enrolada para cavalo, mas eu ainda não descobri uma forma de escrever... heheh

É o nosso bebezinho, que começa a deixar de ser bebê.... Nem consigo imaginar como será depois, sem bebê nessa casa, só crianças grandes... aff


sexta-feira, 7 de junho de 2013

Cabelos, cabeleiras, cabelões...

Quando Elena tinha aproximadamente 1 ano e 2 meses, achei que talvez o cabelinho dela ia ficar gracioso com uma franjinha, além do fato que, se estivesse solto, ficava caindo nos olhos dela! Bom, então conversei com o maridex e levamos-a em um salão, no mesmo que eu cortava meus cabelos. Feito, chegamos, pedi para que cortassem a franjinha dela, ela ficou tranquila e tudo bem. Porém, no salão a gente paga né? Se não paga a primeira vez da criança, paga na segunda, eeeee... o Cabelo da Elena ficou lindamente torto! Ok, nunca mais cortei a franja da moça, pois ficou u ó... além de torto, o cabelinho crespo ficou todo arrepiado e não aprovamos, deixamos crescer!



Baseado na primeira experiência, e vendo que o cabelo da Cecília precisaria de franja, por que ela não deixava um passador se quer, nada, ela tirava tudo do cabelo, e eu passava o dia, tentando colocar alguma coisa para o cabelo não ficar nos olhos, e dessa vez eu acreditaria que ficaria bom, pois o cabelo dela é liso, Conversei com o Roger e disse, precisamos fazer uma franjinha na Cecília. Mas eu levaria de novo no mesmo salão? Ora bolas, no salão tem que pagar, e fazer torto eu também sei, Falei para o marido, e ele, meio assim, meio assado, respondeu para tentar... Não pensei 2 vezes. No próximo banho da pitoca, sentei ela em cima da cômoda, reparti o seu cabelo, como achava que deveria ser, penteei para a frente e taquei a tesoura, sem remorso, e ela quietinha esperando! A partir daí, a cada 15 dias retoco o penteado da menor!



Porém, a algum tempo penso, por que eu mesma não aparo as pontas do cabelo da Elena, afinal, não deve ser tão difícil. O meu, sempre foi minha vó que cortou, até eu ficar razoavelmente grande (grande de idade, por que de tamanho até hoje sou pequena, rs) uns 10 anos, eu acredito... então, pensei nisso por umas quantas semanas, cada vez que lavava o cabelo dela, pensava que estava grande e poderia dar umas tesouradas... Acabei criando coragem e ontem cortei, cortei uns 4cm de cabelo, e ficou bom, nem parece que fui eu mesma que cortei! hehe

Recomendo, são histórias para contar no futuro, que você está criando, a criança fica atenta no que você está fazendo, se sente importante, por que você está a deixando mais bonita, e acredito que ela vá lembrar sempre disso. Mas claro, precisa ter paciência, por que é ruim convencer que tem que ficar paradinha, hehe... Ah, mas aí você me pergunta:  - E se eu acabar deixando torto?
Aí você faz o seguinte, diz que levou no salão, e a criança não parava muito quieta e cabeleireiro (sempre tive problema com essa palavra, tanto para escrever como pronunciar) acabou deixando tortinho... boa né?

Agora, se você ficar com medo enquanto os filhos forem pequenos, esquece, quando eles crescerem, eles nunca mais deixarão você fazer isso! hehe

Beijo.