quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Mãe de coração partido

Semana da criança, escola cheia de programações, entre elas, hoje iam todos para um parque coberto, cheio de diversões com as crianças, em um bilhete que veio para casa, perguntava se a a gente ia querer que fosse servido cachorro-quente para a criança ou não, se afirmativo, deveríamos mandar o dinheiro para pagar o lanche.

Perguntei umas 10 vezes para Elena, se ela queria, expliquei como funcionava e tals... e ela respondeu muito assertivamente que não queria, que queria levar a lancheira dela, com o lanche de casa... ok... a mãe de primeira viagem com criança na escola, não mandou o dinheiro para nada (esquecendo inclusive que a garrafinha de água fica só na escola).

O pai vai buscar a criança no parque e ela reclama de sede, conta para a mãe, que quase morre do coração, por que esqueceu que deveria mandar dinheiro para a criança comprar água... aí, no final da noite, mãe sentadinha do lado da criança, enquanto ela brinca de massinha de modelar e ela com a uma cara super triste diz:
-mãe, só eu não ganhei cachorro-quente hoje,
-mas filha, você me disse que não queria cachorro-quente, você não ganhou por que a mãe não mandou dinheiro. Você falou com sua prof. sobre isso?
-Sim, mas ela não me deu cachorro-quente, e ninguém me deu um pedacinho....
(ela nem come cachorro-quente, mas todos estavam comendo, né)

Tentei explicar para ela o que aconteceu, ela parece ter entendido, mas minha vontade é de chorar até amanhã, só de imaginar a carinha dela...Na próxima pergunto para a professora, se todos irão comprar o lanche, né? (a professora deve ter me achado a mão mais sovina do mundo)

Já posso me matar?


3 comentários:

  1. Ai Joci, escola é um aprendizado para todos nós. Bento também já foi o único a levar suco natural em garrafinha enquanto todos levavam de caixinha. O que eu fiz foi relaxar um pouco e equilibrar as coisas. Ok, hoje leva de caixinha (entre as opções menos piores do mercado), mas faço suco natural em casa. Teve a vez também, na escola anterior, que uma amiguinha levou salgadinho pro lanche (ai! quase desmaiei). E ouvi o "só eu nunca levei". Acaba sendo um exercício diário pra gente, de como ensinar aos nossos filhos a lidarem com vontades e com as diferentes criações.

    Não se sinta culpada viu? E tive uma ideia... porque você não faz uma sessão de cachorro quente surpresa aí na sua casa, com os ingredientes que vc aprova e que Elena gosta? :)
    beijos!

    ResponderExcluir
  2. Boa ideia Sarah, Acho que vou fazer mesmo, quem sabe sábado, dia da criança, que parece que vai estar chovendo e não vai dar para fazer nada diferente... uma festa de cachorro quente... hehe
    Mas ontem mesmo, eu expliquei para ela, que ela havia me falado que não queria e por isso a mãe não mandou o dinheiro, e como eu não mandei o dinheiro, a professora não poderia dar o cachorro quente para ela. E ela pareceu entender bem, tanto que não voltou mais ao assunto...
    O que me doeu, foi imaginar a carinha dela, lá, na hora em que ela pediu e não ganhou... heheh... mãe é mesmo uma boba!
    Quanto as bobagens no lanche, na escola da Elena, é proibido várias coisas, porém a Elena já descobriu a bolacha recheada... e eu acabei liberando um dia, para ela levar também, até agora, foi apenas 1 dia... Mas é certo que eles descobrem outras coisas por lá... hehe
    Uma coisa boa da Elena, é que ela escuta bem quando a gente explica, e facilmente ela parece entender, então não fica tão difícil de explicar essas diferenças e quanto as vontades, uma coisa que percebo, que eles trocam bastante lanche na escola, por que praticamente todos os dias, Elena aparece com alguma coisa diferente na lancheira dela e conta que deu um pouco do seu lanche para outra criança... o que faz com que matem a curiosidade sobre o lanche do colega. Achei bom até!

    Beijoca, obrigada pelo comentário.

    ResponderExcluir
  3. Que bom que Elena entendeu, esses pequenos sempre nos surpreendem! Na escola que Bento está agora não tive notícias de porcarias. A coordenadora até me falou que não incentivam o uso da cantina pelos pequenos, só a partir do fundamental, por não terem discernimento ainda. Outra vantagem foi Bento ir de manhã - antes ia à tarde e as porcarias apareciam mais.

    Bolacha recheada tb Bento conheceu na escola. Não tem jeito, sempre tem alguém que leva. Eu acho que deixar eles provarem evita até que aquilo vire um tabu, uma coisa proibida, o que pode ser até pior e gerar mais interesse. O negócio é não fazer daquilo um hábito.

    Depois conte da festa do cachorro quente! :)
    bjo!

    ResponderExcluir

Qual a sua opnião? Comenta vai!